1.5.12

Blood Donor


Desde pequenina que sempre vi a dor de muitas pessoas, não as conhecia, mas sentia-me mal por nada poder fazer para as ajudar. Quando eu tinha 8 anos, caminhava sem nunca deixar de reparar se a pessoa tinha cabelo ou não. Cada pessoa que eu visse sem cabelo era um sofrimento para mim, uma angustia...sabia o que aquilo significava, e por vezes confesso que a lágrima vinha-me ao canto do olho. Ainda passei alguns aninhos a frequentar esse espaço, felizmente não por motivos de saúde. Comecei a crescer, comecei a perceber que infelizmente não podemos controlar, comecei a deixar de chorar e em vez disso estar sempre de sorriso pronto. Com os anos o tempo que lá passava foi diminuindo, não queria prejudicar ninguém, então raramente lá ia...até que chegou a altura em que tive os meus 18 anos.
Um dia ia a caminha num corredor com o meu pai e lembro-me que do nada dizer-lhe isto: "vou dar sangue". O meu pai não me pareceu muito convicto, talvez pela forma como lhe tenha contado. Lá me dirigi eu ao segundo piso, vi a placa na porta e pensei para comigo: "É agora que vou poder começar a dar mais que um sorriso para estas pessoas".
A minha confiança, a minha vontade para ajudar era tanta que o medo que tenho de agulhas naquele momento desapareceu. Preenchi a minha ficha, respondi a um questionário e toda contente lá o fui entregar. Seguidamente passei para a sala do Dr. Fez-me tantas perguntas repetidas, mas quando fez a mais importante, ele não a voltou a repetir....talvez porque sentiu que veio do coração, ou porque viu o meu olhar de orgulho. Ao entrar na sala de dadores aquilo foi como se tivesse entrado num novo mundo, onde não existe maldade...foi tão bom não ver a maldade durante meia hora!
Quando chegou a parte da agulha é que foi mais complicado, ou era na minha cabeça...a verdade é que virei a cabeça para não ver e fechei os olhos, em segundos deixou de ser problema. A curiosidade falou mais alto e tive que olhar para a plaqueta a encher, com o meu sangue, com a minha primeira ajuda. Confesso que dei por mim a imaginar o meu sangue a salvar alguém! Tinha terminado a minha dádiva e naquele momento sim, eu confesso, entrei em pânico...eu só pensava como é que uma agulha daquele tamanho ia sair...já estava a pedir ajuda aos santinhos!! Mas saiu em segundos e mal senti (mas confesso que ainda hoje tenho esse medo). Quando deram a minha dádiva por completo, ia-me levantar e espalhar a alegria que estava a sentir, o meu entusiasmo foi tanto que a enfermeira mandou-me deitar e começou-se a rir. Mas a vontade de ir contar que já tinha feito a minha primeira dádiva era tanta que enquanto não me levante, não me calei.  E lá fui eu pelo corredor fora, lentamente, com uma ligadura linda no meu braço. As pessoas olhavam para mim, a minha alegria era notória, contagiante. Por momentos senti-me como um raio de sol.  Essa alegria foi tão importante que passado 4 meses certos estava eu no mesmo lugar, a dar sangue, novamente. Até hoje já fiz 9 dádivas, e só não fiz mais porque fiz uma tatuagem e um piercing, o que me impossibilitou de fazer pelo menos duas dádivas. Confesso que é um dos meus maiores orgulhos, não só porque estou a ajudar quem precisa, como também pelo simples facto de não ter utilizado os meus 18 anos para coisas fúteis, mas principalmente por o ter feito por iniciativa própria.
Acho que quando dou sangue os meus problemas evaporam, o mundo deixa de ser a preto e branco e esqueço um pouco a tristeza que tem ocupado a minha cabeça e coração.
Contei-vos a  minha história como dadora para vos dizer que ontem, dia 30 de Abril fui doar sangue, mas definitivamente a sorte não anda muito do meu lado nem mesmo quando é para ajudar. Primeiro de tudo a rapariga que estava a atender era arrogante até dizer chega (por esse motivo amanhã vai chegar uma reclamação sobre essa Sra.) e depois entro na sala, a Dra, mediu-me a tenção, ficou calada durante segundos e mandou-me fazer analises antes de dar sangue. Assustei-me, nunca me tinha acontecido nada assim, mas tudo não passou de um susto! Dei sangue e finalmente (sim porque à meses que andava para fazer isto) inscrevi-me como dadora de medula óssea. Mas para além de dar sangue, ajudei uma Sra. que ia ser internada, um doce de pessoa, ajudei-a no que podia e despedi-me com um sorriso. Confesso é que ontem fiquei esgotada,eram 10 da noite e parecia uma pedra a dormir! Agora que vos contei mais um pouco sobre mim, vou descansar mais um bocado e vou aproveitar a tarde para namorar. Obrigada por todo o vosso apoio e carinho, isso é muito importante para mim:)
A minha grande vencedora (que não ganhou o concurso) percebeu que a dona não estava muito bem e veio mimar-me, sem dúvida esta menina é a minha paixão. Os olhos pesavam, tive que os fechar durante uns momentos, não, não estava a dormir, mas a Kimara estava. E o dono não perdeu oportunidade.


24 comentários:

  1. Que tu eras uma pessoa linda já eu sabia, mas assim tão linda?!

    ResponderEliminar
  2. sem duvida uma acção de louvar :) descansa e namora..adorei a foto

    ResponderEliminar
  3. Gostei mesmo muito de saber isto sobre ti, tem um óptimo dia que bem mereces :) *

    ResponderEliminar
  4. obrigada

    que fofos, essa é uma amizade sempre fiel.. =)

    ResponderEliminar
  5. Acho que dar sangue e ser dador de medula é daquelas coisas que temos mesmo de fazer para ajudar o próximo :) Gostei muito de saber que fizeste ambos :)

    Tens um miminho para ti no meu blog :)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. Olá querida!!
    Realmente é uma acção fantástica;)
    Aqui há dois anos, na minha terra havia uma menina que precisava de medula, e eu fui para doar e ia toda contente por poder ir ajudar alguém.
    Contudo, não estava muito bem informada, do que era necessário...cheguei lá e não me deixaram porque na altura estava a pesar 45kg=/
    Fiquei tão triste que nem tem explicação, agora estou com 52kg=) Finalmente também já posso participar;)

    Acho que tiveste um acto muito lindo, na ajuda ao próximo;)


    Beijinhos
    http://pinkstarnailsanastacia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. São estes actos que fazem de nós boas pessoas, fizes-te muito bem!

    ResponderEliminar
  8. és linda, por dentro e por fora . Eu infelizmente por motivos de saúde não posso doar sangue :/ mas acho que fazes muito bem, vai ajudar muita gente :D

    ResponderEliminar
  9. É deste tipo de pessoas que o mundo precisa:) Parabéns a ti querida e a todas as pessoas como tu:P

    ResponderEliminar
  10. Gostei muito da tua história.
    Eu também sou dadora de sangue e dou com todo o gosto. Felizmente tenho encontrado sempre pessoas super simpáticas.
    Não comecei a dar logo aos 18 porque não tinha 50Kg.

    ResponderEliminar
  11. Foto perfeita! :)
    eu não posso ser dadora... mas assim que poder não vou hesitar :)
    Força meu anjo! :) Um beijinho*

    ResponderEliminar
  12. Uma foto lindíssima!!
    E sabes uma coisa?!
    Cada vez te admiro mais!
    És uma mulher fantástica!
    Beijos,

    ResponderEliminar
  13. eu tb ando a imenso tempo para fazer o mesmo.
    Ainda não ganhei coragem mas acredita que eu vou =)
    bjs*

    ResponderEliminar
  14. Adorei ler o texto, super isnpirador! Eu adorava dar sangue, mas uma pessoa diz sempre isso e dp vai adiando ou pk nao se lembra ou nao tem tempo... e depois le se textos destes e ganha se inspiracao!! Tenho mm de ir voluntariar me!


    http://placequotehere.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  15. Infelizmente não posso doar sangue, mas se pudesse, nem pensava duas vezes.
    Que fotografia tão linda, até me comoveu.

    ResponderEliminar
  16. São essas atitudes, esses actos que nos deixam mais radiantes, mais felizes.

    Gostei de saber. A foto está impecável.

    ResponderEliminar
  17. Adorei ler o texto, e o que fizeste! Adorava fazer o mesmo, mas não tenho o peso certo para poder dar, e também tenho pânico a agulhas, infelizmente :S

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  19. Confesso que quando vejo textos assim grandes em blogues a preguiça é tanta que acabo por não os ler. A imagem cativou-me e quando começei a ler as primeiras linhas do texto senti que o tinha de ler até ao fim. Tocou-me gostava de ter a coragem que tens porque eu sinto exatamente aquilo que sentias quando eras criança. Mas não consigo o que me revolta. O meu medo com as agulhas (que acaba mesmo por ser uma fobia mesmo enorme) supera a minha vontade de querer ajudar. Envergonho-me por isso. Só gostava de um dia poder ser corajosa (como tu) ao ponto de superar este meu medo e poder ajudar, sentir-me útil :)

    ResponderEliminar
  20. Adorei o texto. e adorei ainda mais saber que existem pessoas boas neste mundo!

    ResponderEliminar
  21. gostei! És uma mulher cheia de força e com um grande coração!

    ResponderEliminar
  22. É muito raro encontrar assim pessoas altruístas, que se preocupam com os outros sem que o problema as afecte directamente...
    Parabéns por seres uma dessas pessoas!

    Beijinhos *****

    ResponderEliminar