31.12.14

Do Parto - Incompetência é um elogio



Tem sido complicado chegar perto do computador, isto de ser mãe enche o nosso coração, mas não é pêra doce, tudo por culpa das cólicas!
Mas finalmente consegui um bocadinho para vos vir falar do parto...onde pensava eu que ia correr tudo bem e que ia ficar as 48horas com o namorado a acompanhar.


Já havia mencionado na página do facebook que ia ter a Lara no Hospital de Vila Franca de Xira, isto porque é o da minha zona, mas principalmente porque temos direito a um quarto privativo e o pai fica sempre presente até sair do Hospital. Mas as coisas não correram como previsto, e vou-vos contar o pesadelo que me fizeram passar.

Dia 1 de Dezembro foi dia de festejar, fazia 25 anos e não sabia se ia receber a Lara nos meus braços como prenda, Passava da meia noite, melhor eram duas da manhã quando perdi o rolhão, passado duas horas as dores começaram a aparecer e igualmente as contracções. Eram 7 da manhã, o meu corpo já estava a demonstrar cansaço, as contracções já estavam mais fortes e cada vez mais seguidas, achei melhor passar pelo Hospital.

Cheguei, dirigi-me às urgências e expliquei o sucedido. A primeira enfermeira que me atendeu, fez o toque e disse-me que em principio já ia ficar internada, mas primeiro teria que fazer um ctg.
Como a minha barriga não era totalmente rija, tornava-se um pouco complicado para o ctg registar o que sentia.
A enfermeira estava a preparar tudo para ficar internada, quando aparece um médico, super arrogante que chegou perto do meu ctg e disse que não havia motivo para ficar internada, que o parto ainda estava longe.  Enquanto ele dizia isto eu gemia com contracções... mandou-me andar, o problema era que eu não estava a conseguir andar com as dores.

Não me conformei com o que o médico disse, fui para casa dos meus pais.
Dormi umas duas horinhas e depois as dores começaram a aumentar violentamente, comecei a ter contracções de 10 em 10 minutos...e rapidamente passou a ser de 5 em 5 minutos.

Estava exausta, o corpo já estava a pedir descanso, decidimos voltar ao hospital.
Eram 8 da noite quando lá cheguei, fui dar a minha entrada e a administrativa ainda me pergunta o porquê de eu estar de volta. Não a mandei pastar não sei como.

Sou chamada a triagem e dão-me a senha laranja. Entro, explico o que se passa e mandam-me fazer novamente um ctg. Mais uma vez não conseguiram ver as contracções que estava a sentir, fazem-me o toque e basicamente o enfermeiro diz-me que ainda não estava na altura. Viu que estava desesperada com as dores e deu-me um supositório. Mandou-me aguardar na sala de espera para ser vista pela médica.

Isto não demorou mais que 10 minutos. Fui chamada ao gabinete médico, entrei, sentei. O desconforto já era tanto que nem sentada estava bem, o sofrimento era esgotante.
De inicio começou a traçar elogios ao meu casaco, até que chega o enfermeiro que lhe informa que estou com uma infecção urinária, sem sequer questionar se foram feitas análises ou não!!!
 Depois disso percebi a vergonha de profissionais que ali estavam, a médica questionou-me de quantas semanas estava, na altura tinha 40 semanas certas. Até agora não me esqueço do ar que ela fez quando me respondeu....ela pura e simplesmente me mandou para casa! Na minha estupidez ainda perguntei se não me ia passar nada para a infecção, mas a resposta foi que não precisava!!!!!!!!!!!!!!!!!
Mas a melhor: " Se você piorar ou vir que não aguenta você não venha cá até às nove da manhã, pois não temos quarto para si". Preciso dizer alguma coisa quanto a esta parte?

Fui-me embora, quase a arrastar. O namorado e a minha irmã (ao telefone) não ficaram satisfeitos, já se tinham apercebido que aquilo não seria apenas uma infecção. Foi então ai que decidimos ir até Santa Maria, pelo sim, pelo não....ao menos ficávamos mais descansados.

Não vou contar a história toda do que aconteceu em Santa Maria, pois falarei disso no próximo post.
Quando lá cheguei, fui chamada a triagem. As duas médicas que estavam de serviço, encontravam-se em trabalhos de parto...então tivemos ali umas 3 horas e pouco à espera, já estava farta de ali estar, só me queria ir embora. Até que chega uma das médicas e começa a chamar as doentes....estavam duas à minha frente, elas são atendidas, chegou a minha vez.

Lembro-me tão bem como estava tão calma...expliquei-lhe a situação em Vila Franca e ela foi impecável! Pediu que me deitasse, para  fazer o toque, a partir dai é que a calma desapareceu. Só lembro-me de ouvir " é normal que você esteja cheia de dores, está em trabalho de parto...".

Depois disto foi um misto de emoções. Agora pergunto-me que raio de hospital é aquele? Vou fazer uma reclamação, mas não me ficarei somente pelo hospital, isto foi uma vergonha!




13 comentários:

  1. h grandes filhos da p*ta -.- defecientes.... Tu a sofrer e eles a mandar embora.Incompetentes . Ai que ate fervi!!!!


    Faz la queixa ,nao podes?

    beijjoca

    ResponderEliminar
  2. Em parte tenho uma história parecida. Eu tinha um bebê grande e com uma carta pra ficar internada pois já era +40 semanas contracoes de 5 em 5 minutos e um estúpido de médico manda-me ir passear pró shopping... Certo é que passado 2 horas voltei lá e quando a minha médica me viu e soube do que se passou internou-me logo e pra não dizer o que ela chamou ao outro médico. Enfim.... A partir daí correu tudo bem. Público ou privado temos de ter sorte em quem nos atende. Digo por experiência...

    ResponderEliminar
  3. Ai que tristeza, que incompetência...
    Com a minha mãe aconteceu uma coisa do género, estivemos as duas em perigo de vida porque a enfermeira ignorou as dores da minha mãe, ela até vomitou o liquido amniótico...
    Espero que consigas fazer queixa!

    ResponderEliminar
  4. Que tristeza fds! Imagina um dia que queira um filho e apanho um médico assim mando o logo..... Mwu deus és a minha guerreira linda e a tua filha tem o nome que eu quero por se um dia tiver uma menina **

    ResponderEliminar
  5. Eu cada vez vejo mais historias destas. Já não é falta de profissionalismo é falta de carácter, isto nem a animais se faz.
    Assusta bue que tenhas passado por isso tudo queen V mas o que importa é que agora tu e a princess estão bem
    LYA

    ResponderEliminar
  6. Poo! Não entendo como certas pessoas chegam a médicos, é mesmo triste! :/

    ResponderEliminar
  7. Que tristeza... que belos profissionais não haja dúvida! Eu trabalho na área da saúde e acho que uma coisa importantíssima e que vi e vejo faltar a muita gente é humanidade, empatia para com os doentes..! Há pessoas que simplesmente não querem saber..e passam a bola para não ter que ter trabalho..! =\

    ResponderEliminar
  8. Faz isso. uma reclamação bem detalhada com tudo o que aconteceu e com o nome dos ótimos (ironia) profissionais de saúde que te atenderam.
    Este país precisa de pessoas assim, que se cheguem à frente e se façam ouvir.
    Nem imagino o que deves ter passado, mas é uma vergonha que as coisas sejam assim.

    ResponderEliminar
  9. Lamento isso tudo, pode crer, realmente como a Sofia Oliveira disse, é demais importante que a queixa seja registada e tenho prosseguimento, se no caso não direi que vai adiantar muito, pelo menos pode ser que adiante para outras mulheres. Beijinhos , parabéns pelo bebé, e força, nunca esmorecer:

    ResponderEliminar
  10. vila franca de xira é uma m*rda pegada. entrei lá com a minha avó com um ataque de panico (ela as vezes acha que lhe tá a dar uma coisinha má e enerva-se bastante) e ficou lá internada porque a médica lhe provocou um ataque cardiaco. A minha mãe viu a minha avó a ir-se, completamente. Não percebo como é que é possivel um hospital ser tao mau. Ainda bem que decidiram ir ao outro hospital.. lamento pelo que te aconteceu!

    ResponderEliminar